De um artigo de Bloomberg aprendemos de uma história particular que tem como protagonista Take-Two Interactive. A empresa basicamente cancelou o contrato com os desenvolvedores da Programa Espaço Kerbal 2, Teoria das Estrelas, na verdade demitindo-os. Ao mesmo tempo, ele propôs a toda a equipe se juntar à equipe de desenvolvimento interno criada pela empresa para continuar o desenvolvimento do jogo. Dessa forma, a Teoria das Estrelas se viu sem contrato de trabalho, o único meio de apoio e também uma grande parte de seus trabalhadores, encontrando-se forçada a fechar suas portas.

A negociação ocorreu através da Divisão Privada, que admitiu totalmente a conduta, sempre declarando à Bloomberg que ele contatava todos os membros da equipe e que mais da metade aceitava.

"Ao fazer isso, estamos capacitando nossa equipe apaixonada e talentosa a se concentrar na qualidade e estamos empolgados com o progresso que estão fazendo no jogo".

Bloomberg observa que, até então, a equipe da Teoria das Estrelas acreditava que o desenvolvimento estava ocorrendo sem problemas e que nada estava em perigo. Logo após o Private Division começar a enviar mensagens para os desenvolvedores, a gerência do estúdio informou a equipe que eles estavam no processo de esclarecer os termos dos royalties anteriormente incertos com a Take-Two.

O Programa Espacial Kerbal 2, uma propriedade da qual a Take-Two tem direitos, está agora em desenvolvimento no Intercept Games. Talvez uma prática um pouco extrema, especialmente para uma empresa extremamente rica como a Take-Two.