Também Microsoft juntou-se à iniciativa empreendida por várias grandes multinacionais para forçar o Facebook a mudar seus métodos de moderação. Conforme anunciado pelo diretor de marketing Chris Capossela, a multinacional Windows não comprará publicidade da rede social Zuckerberg.

Este protesto, nascido de algumas "pequenas" marcas, incluindo Patagônia, expandiu-se para incluir empresas do calibre de Coca Cola, Honda, Ford e Starbucks. As multinacionais estão pedindo ao Facebook que mude suas diretrizes sobre comentários de ódio, que atualmente são muito permissivos. Até que essa alteração ocorra, eles não comprarão mais anúncios nas mídias sociais, removendo a principal fonte de receita do Facebook.  

Essa estratégia já havia sido implementada com sucesso no passado por multinacionais. Foi precisamente a recusa das grandes marcas em comprar espaço publicitário no YouTube que causou o Adpocalypse, o que forçou o site a restringir certos tipos de conteúdo.

No entanto, a iniciativa da Microsoft é surpreendente, se você a observar à luz das notícias recentes do desmantelamento de Mixer. A plataforma de streaming de propriedade da Microsoft fluirá de fato para Facebook Gaming, um sinal de que as duas empresas têm relacionamentos muito próximos.