Nestes dias eu vi os dois primeiros episódios de O Chefenova série Amazon Primeiro chegando em 5 de agosto. O projeto é uma produção do Reino Unido e de seus 3 parceiros comerciais restantes: EUA, Canadá e Austrália. Roteiro dos irmãos David e Álex Pastor e dirigido por Jorge Dorad, com um elenco de atores consagrados, mas sem "superstars".
A série abre para um magnífico panorama antárticoe depois mude para a estação de pesquisa Polaris VI, onde a equipe fará uma festa antes do início do inverno, que deixará a base semi-deserta e isolada do mundo externo por 6 meses. Para manter as atividades essenciais, apenas 10 pessoas permanecerão, incluindo os biólogos Arthur (John Lynch) e Annika (Laura Bach), o comandante Erik (Richard Sammel, que muitos reconhecerão como sargento morto em golpes em Bastardos Inglórios), o cozinheiro Ramón (Álvaro Morte), Dra. Maggie (Katharine O'Donnelly) e a novata Aki (Tomohisa Yamashita), além de outros técnicos e pesquisadores.

Johan (Alexandre Willaume), marido de Annika e gerente da base no verão, no processo de passar o comando para Erik, e não muito entusiasmado por ter que ficar longe da esposa todo esse tempo, é adicionado ao carrinho de personagens. Avanço de seis meses: o inverno acabou e Johan lidera uma equipe até a base, onde todas as comunicações foram interrompidas três semanas antes. O que eles vêem quando chegam é arrepiante: localizados ao redor da estação estão os cadáveres de 3 membros da tripulação, todos mortos brutalmente, os dois biólogos estão desaparecidos e Maggie, compreensivelmente chateada, parece ser o único sobrevivente do que aconteceu. , desde que ela se escondera na despensa. Desesperado por ter perdido Annika, Johan decide interrogar Maggie antes que a polícia chegue. Pressionado por suas perguntas, o jovem médico começa a se lembrar. Esses dois primeiros episódios seguem seu ponto de vista sobre os eventos que levarão à carnificina na base.

As primeiras cenas de The Head evocam imediatamente uma comparação inevitável com "The Thing", de Carpenter, um elemento do qual os escritores estavam cientes, tanto para inserir uma cena em que todos olham o filme em questão, como uma espécie de ritual propiciatório antes inverno. UMA movimento pau grande alguém diria, arrogância outros diriam. A realidade é que as semelhanças entre o filme e esta série são limitadas à montagem e à neve de fundo. A história de The Head parece tomar outra direção além da obra-prima de Carpenter, concentrando-se mais em um mistério de assassinato (serial) com um narrador (provavelmente) não confiável. Mas, pelo menos até onde eu vi, funciona muito bem. Gerenciar tantos personagens apresentados em tão pouco tempo não é tarefa fácil, mas manter a atenção do espectador é ainda mais impressionante.

O início desta série é realmente intrigante, como eu não vejo há anos, Eu provavelmente teria terminado tudo de uma vez se eu tivesse acesso ao resto. O trabalho do diretor fortalece um roteiro já sólido e bem estruturado, tanto que o resultado final é melhor do que a simples soma de suas partes. A atuação é notável, mas as performances, por melhores que sejam, são apenas um dos pilares em que tudo se sustenta. Os conjuntos são essenciais, mas funcionais, exatamente como poderia ser uma verdadeira base científica na Antártica e nunca dão a impressão de ter a ver com uma produção de "baixo orçamento".