Buscadores da verdade é uma nova série de Amazon Prime co-criado por Nick Frost, Simon Pegg, James Serafinowicz e Nat Saunders. Nick Frost e Simon Pegg formam uma dupla cômica agora famosa, especialmente graças à trilogia Cornetto de Edgar Wright, que explorou diferentes gêneros em um tom satírico, mas nunca os menosprezou.

Como se pode deduzir pela participação no projeto, Truth Seekers é uma comédia tingida de terror que tem como ponto de partida as comunidades da internet interessadas no ocultismo e no sobrenatural, que muitas vezes levam a teorias da conspiração. Essa conexão é evidente desde a primeira (e infelizmente uma das poucas) cena com os dois amigos: Dave (Simon Pegg) é gerente da Smyle, uma grande empresa especializada em 6G futurista, e está essencialmente forçando Gus (Nick Frost), roteador, para colocar um jovem sob sua proteção e lhe ensinar o ofício. Fortemente contrário, Gus reclama que já tem pesos mortos suficientes em seus ombros, mas acaba cedendo, e nós conhecemos Elton (Samson Kayo), que estava observando silenciosamente do canto. Mas a casca dura de Gus não agüenta por muito tempo, e ele logo se abrirá para o novato, muito para envolvê-lo em seu hobby e no que ele considera sua vocação: encontrar e filmar evidências de fenômenos sobrenaturais. Pouco importa que até agora ele não tenha recolhido nada. Ao mesmo tempo, Astrid também é apresentada, uma jovem sobre a qual ainda não sabemos nada, exceto que ela é assombrada por horríveis aparições. Fazem parte do elenco principal também Susie Wokoma e o imenso Malcolm McDowell, que interpreta o pai idoso de Gus, recém-descoberto pela internet e redes sociais.

Elton é o nosso substituto e o ponto de vista a partir do qual abordamos o mundo de Gus, composto de especialistas improváveis ​​e teorias da conspiração, detectores de ectoplasma e vlogs, ao mesmo tempo em que continuamos, em suas próprias palavras, “O trabalho mais chato do mundo”. Na realidade, é graças ao seu uso que Gus e Elton assumirão o papel de “Buscadores da Verdade”, fazendo descobertas interessantes, já que todo pedido de ajuda de repente parece estar ligado de alguma forma a manifestações sobrenaturais. A química entre os dois protagonistas está lá e funciona (mesmo que a falta de Simon Pegg seja evidente e inegável), começando um pouco moderada, mas se estabilizando a tempo da chegada de Astrid. Seu papel, no entanto, é um pouco reduzido à medida que os episódios continuam: enquanto os protagonistas permanecem, muito tempo na tela é dado ao resto do elenco, felizmente também a Malcom McDowell, cujo personagem inicialmente parecia uma espécie de camafeu.

Truth Seekers é um produto interessante, excelente do ponto de vista técnico, com excelentes efeitos especiais (ou que pelo menos se parecem com estes na tela de um PC), com algumas exceções gritantes. Mas, acima de tudo, mesmo sem o gênio de Edgar Wright por trás disso, mantém o equilíbrio certo entre elementos de comédia e terror, que saem fortalecidos pela mistura dos dois. As atuações são fantásticas, exageradas mas sem ultrapassar, também aqui consolidando o tom que o espetáculo parece querer, sem se afastar muito em nenhum dos dois sentidos. A música de Robin Foster também é excelente, principalmente o outro dos créditos, perturbadora e intrigante na mesma medida. Não quero fazer spoilers sobre o enredo, começa bem e acaba um pouco menos bem, a partir do quinto episódio acelera e tem alguns problemas de andamento mas dá espaço certo para os personagens, tanto que um veterano da comédia como Nick Frost não está sempre no centro atenção. A maior decepção foi a escassez de cenas com Simon Pegg, que (pelo menos por agora) está basicamente relegado a um papel coadjuvante, mas ainda há tempo para ser agradavelmente surpreendido em uma possível segunda temporada. As cenografias às vezes não são particularmente inspiradas, assim como os segmentos filmados à mão pelos personagens, mas também poderia ser uma escolha dos autores para sublinhar a dúzia de muitos "criadores de conteúdo" que lidam com fenômenos paranormais. A fotografia em algumas cenas é inexplicavelmente superexposta, e o reflexo da lente é amplamente utilizado em algumas fotos.

As oito parcelas de Truth Seekers são apresentadas por flashbacks referindo-se a eventos que eles fornecem um contexto geral sobre o mundo e um particular para o episódio em questão, dando um caráter quase antológico ao todo, ou pelo menos dando mais profundidade ao enredo vertical. Essa narrativa episódica também é a principal fonte de recompensas, já que depois de quatro episódios que se limitam a colocar a história em movimento, seguem-se mais quatro episódios que a fecham de uma forma não exatamente ótima. Os elementos de terror certamente não são revolucionários, mas nem mesmo deixam uma sensação desagradável de já visto, porém é uma abordagem característica e não barata do assunto. A gestão dos próprios elementos do terror mantém uma certa desenvoltura inglesa mesmo nos momentos mais agitados, afastando-se do estilo paródico das produções americanas.

Depois de tudo Fiquei positivamente impressionado com os buscadores da verdade, uma produção modesta com muitos altos e alguns baixos, mas isso é basicamente consegue entreter o espectador em vários níveis. Eu recomendo fortemente assistir a linguagem original - os atores absolutamente merecem.