Com a vitória esmagadora de O último de nós parte 2 até o fim Game Awards, o público e a crítica começaram a discutir e criar polêmica em torno da cerimônia de premiação. Entre eles, o site Kotaku publicou um artigo em que a validade do prêmio foi discutida Melhor Diretor de Jogo para um estúdio como a Naughty Dog que, nos últimos meses antes do lançamento, obrigou muitos de seus funcionários a uma sessão de trituração intensiva.

Inesperadamente, em defesa de Neil Druckmann e sua equipe entrou em campo George Broussard, co-criador do Duke Nukem.

O desenvolvedor criticou agressivamente o artigo, levando a defenda a prática de crunch repetidamente durante o debate no Twitter. Segundo Broussard, o autor do artigo "Não tem ideia do que significa lançar um jogo AAA", acusando-o de levar em conta as palavras daqueles poucos ex-funcionários que reclamaram da pressão dentro do estúdio, ao invés do resto da equipe que trabalhava no jogo. Finalmente, o ex-3D Realms achou bobo comparar um estudo de 20 pessoas como o de Jogos Supergiant, desenvolvedor de Inferno (outro candidato ao prêmio GOTY) com um estúdio de bem mais de 300 pessoas como o do cagnacci.

E de que lado você está? Broussard está certo ou - como alguns usuários ligeiramente extremistas apontam - sua opinião não deve ser levada a sério após o fracasso de Duke Nukem Forever?