Em 2010, Katsuhiro Harada e Yashinori Ono anunciou o início de uma parceria entre Bandai Namco e Capcom que se concretizaria em dois jogos de luta: Street Fighter X Tekken e Tekken X Street Fighter, jogos que traduziriam, respectivamente, a mecânica 2D e 3D das duas marcas mais importantes do gênero.

E embora Street Fighter X Tekken tenha sido lançado em 2012, obtendo uma resposta mista do público e da crítica (também devido à confusão criada a nível competitivo e ao escândalo sensacional associado ao DLC pré-carregado no jogo base), o seu irmão gêmeo com um líder de equipe de Harada nunca viu a luz nos últimos 11 anos.

Para confirmar o morte do projeto foi o mesmo Harada junto com o diretor do jogo Tekken 7 Kouhei Ikeda durante o último episódio de seu podcast Harada's Bar.

Segundo o relato deles, o projeto chegou a 30% de sua produção quando a Bandai Namco decidiu cancelá-lo completamente, cancelando assim todo o trabalho feito pela equipe de desenvolvimento.

“Estávamos trabalhando muito e gostaríamos de mostrar os modelos e muito mais. No entanto, Street Fighter é propriedade da Capcom e, portanto, não podemos fazê-lo. "

Então, o que resta desse crossover? No final, o único personagem de Street Fighter a mergulhar entre 2D e 3D foi Akuma, personagem que apareceu como estrela convidada em Tekken 7.