Nintendo publicou uma declaração especificando que não terá maiores margens de lucro com a nova versão do Switch. A empresa de Kyoto foi obrigada a especificar esse detalhe devido a um artigo que circulou nos últimos dias.

Resposta da Nintendo

Em um relatório de 14 de julho Na verdade, Bloomberg analisou as características técnicas e custos para o consumidor do novo console Nintendo Switch OLED. O jornal norte-americano chegou à conclusão de que, para cada unidade vendida, a Nintendo teria uma margem de lucro 10 dólares maior que o modelo padrão.

A nova versão do Switch custa, na verdade, mais do que a original, e as características técnicas não são tão avançadas, de acordo com a Bloomberg, a cobrança excessiva deve ser plenamente justificada. Mas a Nintendo negou qualquer alegação, afirmando:

“Um relatório datado de 15 de julho (data japonesa) afirma que as margens de lucro do Nintendo Switch (modelo OLED) são maiores do que as do Nintendo Switch. Para garantir total transparência para investidores e consumidores, especificamos que esta afirmação está incorreta."

No entanto, a resposta da empresa de Kyoto é lacônica nos detalhes técnicos. Ainda não foi publicado nenhuma resposta concreta aos cálculos de Bloomberg, que coloca o custo das melhorias técnicas do OLED em US $ 40 por unidade. O console custará US $ 350 no lançamento, 50 a mais que a versão original.

Switch OLED será o único novo console

A Nintendo então continuou a especificar mais uma vez que Switch OLED é o único console que a Nintendo pretende lançar nos próximos meses. Isso sufoca qualquer possível especulação de um novo modelo "profissional", alimentado nos últimos meses por rumores que se seguiram sobre as características técnicas do novo console Nintendo.

Rumores circularam antes do anúncio, e relatados pela própria Bloomberg, descreveram um console muito diferente do que então Nintendo apresentou. O recurso mais discutido foi a resolução 4K, possibilitada por uma colaboração com a Nvidia, mas ausente no Swtich OLED.