A Activision Blizzard ainda está no centro da tempestade, desta vez por sérias acusações de maus-tratos e abuso de mulheres trabalhadoras.

A software house americana que deu origem a World of Warcraft e muitos outros títulos agora históricos, está no centro de episódios graves de maus-tratos e abusos. A empresa foi processada por episódios de machismo em relação a alguns colegas. Estes, além de terem salários mais baixos e menos oportunidades de crescimento na empresa, teriam sido maltratados de várias maneiras.

A denúncia descreve como, durante o horário de trabalho, muitos homens passam o tempo jogando videogame entre piadas de natureza sexual, referindo-se levianamente ao estupro, relegando suas atribuições aos colegas. Também é mencionado o tratamento reservado para quem tem que cuidar dos filhos: essas mulheres não são apenas criticadas, mas também excluídas das reuniões da empresa.

O pior episódio, porém, diz respeito ao suicídio de um funcionário. Durante uma viagem de negócios, ela estaria sujeita a abuso sexual e assédio acompanhada da divulgação de material pessoal nos telefones dos colegas. Depois de sofrer tal abuso, a mulher teria decidido tirar a própria vida.

No momento a Activision Blizzard decidiu ativar uma investigação interna para lançar luz sobre os fatos, ainda que defina as acusações em boa parte distorcidas.

Esperamos que a justiça seja feita e a Blizzard tome as medidas certas.